Morto por amigo em caçada



A jornada de caça estava a começar quando a tragédia aconteceu. Joaquim Mira, de 64 anos, estava no jipe, onde iam mais cinco colegas, quando a arma de um deles disparou acidentalmente, atingindo-o na cabeça. O caçador teve morte imediata.

Tudo aconteceu pelas 08h05, no Monte da Caça Rica, entre Elvas e Campo Maior. No local estariam cerca de 40 pessoas, que ficaram chocadas com o sucedido. A vítima tombou, ficando na parte de trás do atrelado da viatura todo-o-terreno onde deveria ter seguido com os amigos para caçar. “Todas as hipóteses estão em aberto, mas à partida trata-se de um acidente, envolvendo um disparo de caçadeira”, disse ao Correio da Manhã fonte da GNR.

Além da autoridade, estiveram naquela reserva turística de caça os Bombeiros de Elvas, com 11 elementos, a ambulância de Suporte Imediato de Vida de Elvas e uma equipa de intervenção psicológica do INEM. O caso, por envolver uma arma de fogo, foi entregue à Polícia Judiciária, que, no local, recolheu elementos e identificou os caçadores envolvidos.

Joaquim Mira era residente em Odivelas e natural de Portel, no distrito de Évora.

Fonte: CM

 

NDR:

Mais uma vez somos confrontados com a morte de um caçador, neste caso quando se deslocava para o local de onde iria passar uns bons momento com os amigos, o que desde logo levanta mais uma vez a questão sobre o manuseio de armas.

Não é a primeira vez que este tipo de acidente ocorre, e uma questão tão básica como o descarregar a arma logo após o fim da caçada nem sempre é cumprido, levando a situações de elevado risco para si e demais pessoas.

Nunca é demais recordar que o caçador é responsável pelo correto manuseamento da arma, onde  uma das regras é, uma arma nunca pode ficar carregada, nunca.

Fica aqui mais uma vez o alerta para todos nos portadores de armas.

O Caça e Cães de Caça vem por este meio apresentar as mais sentidas condolências à família e aos amigos da vítima.



Gostou deste Post?

Speak Your Mind

*

Criação de Blogues e Sites em Wordpress | MisterWP