Estudo Científico demonstra que as Munições com Chumbo não prejudicam o Meio Ambiente

Um novo estudo desenvolvido pela Universidade Politécnica de Valência e pela Universidade de Múrcia, refere que os chumbos que ficam no campo têm “muito baixa” e “irrelevante” incidência nas espécies.

Tornou-se um dos argumentos básicos contra a caça: o chumbo que os caçadores disparam com as suas espingardas contamina e degrada o meio ambiente. De facto, havia poucos estudos científicos nesse sentido. Países como a Noruega, que haviam proibido a munição com chumbo para caçar, voltaram a autorizar, devido à falta de evidências científicas que demonstrassem que os cartuchos de caça são uma ameaça à natureza. As poucas investigações realizadas até agora referiam-se a áreas húmidas – onde a munição de chumbo já havia sido banida – mas nenhuma investigação referiu-se a áreas não aquáticas.

Até agora…

Dada esta lacuna no conhecimento, a Federación Sectorial Armera (FSA) decidiu impulsionar, há cerca de dois anos, um projeto científico ambicioso, que foi realizado pela Universidade Politécnica de Valência e pela Universidade de Múrcia, em colaboração com a Escola de Engenharia de Montes de Madrid.

Este estudo, intitulado ‘Incidencia y repercusión sobre las aves cinegéticas no acuáticas por aporte de perdigones de plomo al medio terrestre’, foi realizado por Antonio de José Prada (Engenheiro Florestal da Universidade Politécnica de Madrid); Diego Romero García (Professor na área de Toxicologia do Departamento de Ciências Sócio-Sanitárias da Universidade de Múrcia); Juan Manuel Theureau de la Peña (Engenheiro Florestal da Universidade Politécnica de Madrid); Juan Bautista Torregrosa Soler (Professor Titular do Departamento de Engenharia Rural e Agroalimentar, Universidade Politécnica de Valência) e Andrés Ferrer Gisbert (Professor Titular do Departamento de Engenharia Rural e Agroalimentar da Universidade Politécnica de Valência).

A principal conclusão que obtiveram é que a incidência causada por munições de chumbo em espécies de caça não aquáticas é “muito baixa” e “irrelevante”, segundo refere a Jara Y Sedal.

Referem ainda que “Um aspecto que chama a atenção para o desenvolvimento do relatório é que, embora tenha havido muito poucas espécies suspeitas de serem afetadas ou contaminadas por chumbo, todas (exceto uma) tinham uma excelente condição física, capacidade de defesa total e foram caçadas ou capturadas sem que houvesse qualquer sintoma ou suspeita”.

O estudo pode ser consultado na íntegra AQUI.

Fonte: Diário de uma Caçadora e Jara Y Sedal

Criação de Blogues e Sites em Wordpress | MisterWP

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com