Rebanho de ovelhas morto por lobos em São Bento da Porta Aberta

Um rebanho completo de ovelhas foi morto por lobos, num campo de pastoreio da Serra do Gerês, abaixo do Santuário de São Bento da Porta Aberta, em Terras de Bouro, estando a situação a causar revolta entre habitantes da localidade de Seara, freguesia de Rio Caldo.

José Antunes, da localidade de Seara, em Rio Caldo, o dono das ovelhas, contactado por O MINHO, confirmou “a mortandade”, explicando que “aquilo aconteceu durante o dia de ontem e quando a praia fluvial, ali perto, estava cheia de gente, eles já nem têm medo”.

Cerca de uma dezena de ovelhas despedaçados foi o cenário encontrado por José Antunes, proprietário do rebanho, inteiramente dizimado por uma alcateia que tem vindo a atacar, na zona da povoação, o que causa ainda mais receio junto dos populares, com medo de eles próprios poderem ser atacados, ou mesmo as crianças em férias, bem como turistas”.

Para José Antunes, “este tipo de lobo que é largado aqui não é o tipo lobo ibérico, mas já uma mistura raçada com cão, o que o torna mais destemido, fazendo com que desça mais facilmente desde o alto da serra, inclusivamente durante o dia, como já ontem aconteceu”.

Segundo o mesmo criador de gado ovino, “desde o inverno tem sido uma razia por aqui, eles atacam todo o tipo de animais, como ovelhas, vitelas e vacas, ninguém está livre para sofrer um ataque dos lobos, por isso alguém tem de fazer algo para se terminar com isto”, conforme disse a O MINHO, acrescentando que “também têm sido aqui mortas cabras”.

 

O MINHO soube nas freguesias de Rio Caldo e de Vilar da Veiga, ambas confiantes com o Rio Cávado, que os ataques têm arrasado não só ovelhas, como cabras e cachetas, como são conhecidas localmente vacas e vitelas de menor porte que deambulam na serra.

“O lobo é um coitadinho, eu não tenho nada contra a preservação, mas connosco é que se não vê preocupações, estamos às vezes seis anos para receber as indemnizações e outras vezes nem isso, mas neste momento é uma questão de segurança o que está aqui em causa, porque eles são muito perigosos e descem até junto das populações”, referiu José Antunes.

Turistas em perigo
Uma outra preocupação tem a ver com os operadores turísticos locais, alguns igualmente proprietários de gado de várias espécies e raças, que receiam um eventual ataque a turistas que não conhecendo o meio, “se aventuram muitas vezes sozinhos pela serra acima, não sabendo os riscos que correm, aliás, muitos até se perdem aqui e com muita frequência”, de acordo com aquilo que revelou a O MINHO o dono de uma pensão, em Vilar da Veiga, que solicitou anonimato, mas disse “ser necessário as autoridades tomarem medidas para evitar uma tragédia, pois quando os lobos atacam ninguém fica vivo para contar a estória”.

Criação de Blogues e Sites em Wordpress | MisterWP

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com